Logo FRIGGA

Tecnologia IBM de armazenamento de energia promete superar o íon-lítio!



O Centro de Pesquisa IBM descobriu um novo design de bateria que não usa metais pesados ​​e pode superar as baterias de íon-lítio. Para materializar o estudo, a IBM assinou acordos de desenvolvimento com a Mercedes-Benz R&D na America do Norte, com o fornecedor de eletrólitos de baterias Central Glass, e o fabricante de baterias Sidus.


À medida em que a mobilidade elétrica evolui, de veículos elétricos a redes inteligentes, ainda existem preocupações significativas em relação à sustentabilidade dos materiais da bateria. Muitos deles, incluindo níquel e cobalto, apresentam enormes riscos ambientais e humanitários.


A nova bateria desenvolvida pela IBM é construída a partir de materiais que não usam metais pesados ​​ou substâncias com prejudiciais ao meio ambiente.


Esse novo design de bateria usa iodeto como material ativo do cátodo, que pode ser extraído da água do mar. A combinação deste material com uma formulação eletrolítica nova e proprietária, incluindo um mediador de reação, torna esse sistema de bateria exclusivo de outras baterias de iodeto de metal, resultando em seu excelente desempenho e baixa inflamabilidade. É ainda mais promissor do que as baterias de íon-lítio em várias tecnologias de transporte e energia:


  • Para veículos elétricos, a baixa inflamabilidade da bateria, o baixo custo e o tempo de carregamento rápido (menos de 5 minutos para atingir uma carga de 80%) - características comuns nas baterias de íon de lítio - podem permitir que um veículo elétrico amplamente acessível se torne realidade.

  • Na área em expansão de veículos voadores e aeronaves elétricas, essa bateria pode ser otimizada para obter uma alta densidade de potência que supera as baterias de íon-lítio - essencial para usos nos quais a capacidade de escalar rapidamente a energia é essencial.

  • Testes iniciais também mostraram que esta bateria pode ser projetada para um ciclo de longa vida útil - dando a estabilidade de ser uma opção sustentável, de baixo impacto e baixo custo para redes elétricas e armazenamento de energia.


A equipe de pesquisa utilizou microscopia de força atômica para entender melhor as forças desses materiais da bateria em nível molecular e atômico. Essa mesma infraestrutura é o que alimentou outras descobertas transformadoras da IBM - do desenvolvimento de semicondutores à computação quântica.


Fonte: IBM


14 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
Logo FRIGGA

por FRIGGA